Total de visualizações de página

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

As escolhas certas

Mais um dia de indignidade,
Mais um dia abaixando a cabeça e pedindo dinheiro.

Até quando, Meu Deus?

99 cents, 3 reais, 30, 300.

A vida de quem não tem nada, mas que poderia ter tido tudo, se ao menos tivesse feito as escolhas certas.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Vida de puta

Vou vender meu corpo pelas ruas fétidas por alguns trocados.
Sabe, até as putas têm mais dignidade que as donas de casa desempregadas.

sábado, 22 de outubro de 2016

Silêncio

O silêncio pode vir da falta de palavras,
Da incapacidade de falar,
Da incompreensão da realidade,
Ou da pura vontade de se manter em silêncio quando tudo perece, quando tudo causa fadiga.

Acho melhor eu me manter em silêncio profundo por no minímo 10 dias.
Creio que minha voz nao fará falta,
Uma vez que minhas palavras pra nada servem,
Nenhum bem causam.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

de bom humor

Hoje o dia amanheceu diferente,
resolvi ajeitar os móveis,
limpar as prateleiras,
espalhar amor invés de ódio,
ser mais receptiva,
controlar meu gênio
e amar mais do que nunca.


Espero  que esse sentimento dure pelo menos até o final do dia ( rs)

terça-feira, 13 de setembro de 2016

nunca

Um passo para frente e dois mil para atrás.
Entre lágrimas e soluços me desespero a cada minuto,
Meu coração vacilante teima em acreditar que tudo pode um dia dar certo.

Mas nunca dá.

Eu sempre me fodo no final.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

A dança da morte

Uma nova humilhação a cada dia:

Por quê? Pra quê? Aonde? 

Enrolo mais uma volta da corda no meu pescoço

Ando cambaleante na sacada da varanda.

A sua pergunta deveria ser:

- Você vai mesmo pular?

Engulo mais um compimido.

Mais uma volta na corda.

Mais uma pergunta idiota, mais uma humilhação machista.

Dinheiro é poder.

Mas EU controlo a vida e a morte.

E sim, eu vou pular.

sábado, 3 de setembro de 2016

Homeless

Tenho uma bagagem de criticas,
Uma pilha de arrependimentos,
Um blade de lagrimas,
Duas caixas de entorpecentes,
E nenhum luger pra ir.

Sem destino,
Sem lar,
Sem sorrisos.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Pipa

É verdade que fizemos planos?
Compartilhamos?
Sonhamos?
Juntos?
Acho que me descolei do papel e me peguei voando perdida e sozinha.
Você se esqueceu de me dar suas mãos enquanto corria apressado atrás dos resulatdos.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Suicida

Hoje cometi um grave erro,
Pensei que algo fosse possivel mesmo quando todos me disseram para nao fazê-lo.

Tenho odio de mim mesma. Todos me criticaram. Todos me pedrejaram.
Meu novo moderador de humir tem como efeito colateral aumentar as tendências suicidas.

Acho que a proxima critica que eu ouvir, vou simplesmente passar uma faca na garganta e deixar o sangue escorrerdocemente. Trilha sonora on repeat

domingo, 28 de agosto de 2016

Chega de bullying


Quem me conhece de verdade sabe que além de um caracteristico mau humor e minhas caraminholas na cabeça. Sou geralmente calada, mas sempre tento ser gentil com desconhecidos.

Normalmente não gosto de situações que fujam à minha rotina. Sou uma criatura de habitos ( Sheldon ❤️). Vou sempre aos mesmos restaurantes, peço sempre o mesmo prato, so bebo vinho verdes ou sauvignon blanc, eventualmente um chopp ou um golinho da cerveja do marido, nao gosto que entrem de sapatos na minha casa,que peçam as minhas coisas emprestadas,que não devolvam as coisas que porventura emprestei, que abusem da minha hospitalidade...... Varro minha casa três vezes ao dia, uso desinfetante todos os dias e uso aspirador de pó às 16 hs nas quartas e domingos. ( Tenho TOC com limpeza e organização).

Bebo três litros de água/ chá por dia, sou extremamente carinhosa com meus cachorros e meus familiares e bastante ciumenta com meu marido.

Nada de anormal ate aqui, certo? Errado! Tomo moderadores de humor por que sou uma pessoa extremamente sensivel às mudanças no meu ambiente. Muito disso por conta de meu ultimo emprego onde sofri assedio moral e bullying.

Seres humanos sāo crueis, logo, me isolo e nao quero interagir com eles.

Ontem tive de me posicionar de forma enfatica para defender uma menina de bullying. Cara, na boa, que merda de seres humanos precisam tratar mal os outros para se sentirem bem consigo mesmos.

Não gosto de piadinhas com cor da pele, peso, cabelo, orientação sexual o que for.

Chega de bullying. Chega de palhaçada.

Elegante é ser educado. Chique é saber viver na diversidade.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

FODA-SE A PORRA TODA

Como já anunciei que este blog não será mais apenas de poemas e poesias, e sim, também dará vazão aos meus pensamentos mais inquietantes.... hoje é um dia de reflexões.

Como ando obcecada por um maldito tênis brilhoso que quero e não tenho dinheiro pra comprar nem uma santa alma para fazer a caridade de me dar algo tão fútil, este post é para discutir o valor das coisas e se elas são ou não fúteis.

Vamos lembrar que na física, quando estudamos os movimentos, é importante ter em mente o referencial. O referencial é tudo. O que eu vejo, o que você vê, vice-versa. Assim como as piscadelas de Levi-Strauss ( amo antropologia)

Esses dias estava conversando com minha mãe sobre as pequenas coisas que afetam a auto-estima de uma mulher que não está trabalhando: ter de pedir tudo para o marido.

Eu sempre fui muito independente, ganhava dinheiro, gastava dinheiro, trabalhava para ganhar mais dinheiro e gastava mais dinheiro, eu sempre conjuguei o verbo consumir com muito orgulho. Estou inserida no regime capitalista ora pois.

Olhar vitrines é algo tão gostoso quanto as minhas diárias corridas de 6 km 5 x na semana ( projeto Viviane Araujo faço até abdominal com os "homi") na praia. Só tem um porém, na praia minha mente vaga sem criar ciclos obsessivos, enquanto as vitrines exigem um exercício de refino e concentração. Não posso comprar tudo o que quero, logo, preciso selecionar alguns pequenos itens e juntar moedas, centavos, até catar latinha se for necessário. Esse, meu bem, é o fetiche da mercadoria que um tal Karl Marx vivia falando. E cá pra nós EU SEMPRE ODIEI O MARX, sou mais o Durkheim e o Parsons. F**** comunismo.

Voltando, existem coisas que são trocadas fora do mercado e dos custos de transação ( como eu amo ter feito doutorado no instituto de economia), essas são as "não mercadorias" ( eu inventei isso agora). Eu não consigo precificar uma boa xícara de chá, apesar de me chá favorito da twinings de camomila mel e baunilha ser caro, ele me acalma, ele é lindo, maravilhoso, ainda mais agora que estou reduzindo o consumo de café por questões médicas. Eu também não posso precificar uma boa noite de sono, apesar de meu travesseiro maravilhoso ter sido feito a partir de tecnologia da NASA  e ele custou bem caro, eu também não posso precificar o abraço amoroso da minha mãe e do meu pai, mas eu tenho que viajar para vê-los e isso custa dinheiro. Vocês conseguem entender aonde quero chegar?

Não dá para fugir da maldita relação com dinheiro! Precisamos comer, nos vestir, estudar, transitar pela cidade ( pelo mundo), até  a internet é paga, CARALHO!

A minha psiquiatra entende meus ciclos compulsivos e ela entende porque eu ando com tanto ódio de não ter este maldito tênis. Mas foda-se, ela não vai me dar esta porra e nem ninguém.

Agora estou focada em estudar para concursos, arrumar um emprego, ganhar DINHEIRO e deixar que o feitiço do capitalismo me faça gozar com prazer, porquê na boa, tô cansada de só  me foder  E anotem minhas palavras cada centavo ganho vai ser pra comprar TUDO o que eu não ganhei.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Subterraneo

Ando me retorcendo,
Me contorcendo,
Me corroendo.


Sou uma cobra devorando meu proprio  corpo,
Sou um ser que habita o subterraneo das galerias de esoto.


Vai lá, me surpreende!



Sabe do que eu gosto?
De surpresas.
Cartões repletos de carinho espalhados pela casa.
Ganhar presentes sem nenhum motivo.
Uma xícara de chá quente.
Meias de lã cor de rosa.
Maquiagem!!!!!!!
<3 decay="" forever="" geek="" katvond="" limecrime="" mac="" make="" makeup....="" o="" p="" s="" sugarpill="" tantas="" up="" urban="">Livros de contos.
Beijos dos meus cachorros.
Dormir na casa dos meus pais do ladinho deles.
Falar com a minha mãe ( minha melhor amiga) várias vezes ao dia.
Elogiar meus amigos e deixá-los alegres e confiantes.
Beijos na boca do meu marido.
Longos abraços de quem eu amo.
Estar casada com meu melhor amigo.
Acordar todos os dias motivada para ser uma pessoa melhor.....
Ligações de amigos que moram longe.
SEXO! Gosto muito de sexo.
Sonecas após o almoço.
E poder contar os amigos verdadeiros com os dedos das mãos.

O resto e o resto, Mas no resto tem um maldito tênis que brilha que eu não ganhei e que está me deixando DESCONTROLADA!

Essa é a vida de uma pessoa com transtornos de humor. 

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

NADA

Nao tenho nada,
Mas o nada me tem.

Ele me consome,
É meu e de mais ninguém.

Nao mais posso conjulgar o verbo possuir.
Nao faco parte da cadeia produtiva.

Nao tenho nada,
E somente o nada me tem.


Devora-me

PRIMADONNA QUEEN




Aos 35 anos você aprende que os sonhos não são feitos de purpurina e brilhos,
Mas sim de remédios reguladores de humor e uma pilha de chorume em forma de chuva.

Drama  Queen! Eu?!

TEU CU

"'Cause I'm a primadonna girl, yeah
All I ever wanted was the world
I can't help that I need it all
The primadonna life, the rise and fall
You say that I'm kinda difficult
But it's always someone else's fault
Got you wrapped around my finger, babe
You can count on me to misbehave"  ( Primadonna - Marina nad the diamonds"

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Grito sem voz

Caminho neste mundo imundo de poeira e sangue.
Arrasto-me como a sombra de alguém que já viveu e hoje não tem mais nada.

Sem corpo, sem forma. Não tenho nada, não sou nada.

Um grito sem voz entorpecido por muitas xicaras de chá e vários remédios de  tarja preta.

Ninguém entende o que se passa em minha mente doentia.

Cansada de pedir, casada de implorar, cansada de respirar, cansada de existir,

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Ele se vai aos poucos

                                                                               Fonte: monicafsantos.blogspot.com 


Ele se esqueceu de plantar as flores,
Ele se esqueceu de regar nosso jardim.

Ele se esqueceu de contar as nuvens,
Ele se esqueceu de nosso abraço sem fim.

Ele se esqueceu de falar com doçura,
Ele se esqueceu de mim.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Umbigo

A cidade de pedra me engole e me regurgita.
Os entorpecentes não fzem mais efeito.
Linguas venenosas me rodeiam.

Tento me esconder, fugir, me drogar.
Nada funciona!

A luz fere meus olhos,
E as lágrimas não tardam a rolar.

Quero abrigo!
Quero abrigo!
Quero abrigo!

Ah se eu pudesse me enfiar de volta dentro de meu próprio umbigo.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

VisiTAs



E ele partiu meu coração de novo.
Feito um cao vadio, judiado e abandonafo,
Deito-me lambendo minhas feridas.
Esta noite só as estrelas verāo as minhas lágeimas.