Total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O buraco negro


Acho que esqueci o caminho de casa,
Não me lembro mais como ascender ao céu e brilhar novamente.

Fui sugada por um buraco negro, amargo e infeliz.
Ele roubou a minha luz.
Ele roubou meu brilho, minha centelha reluzente e atrevida.

Eu outrora estrela,
Sou agora matéria sem vida.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Dividendos


Fez de mim credor cruel de tua infelicidade,
Fala de mim como a razão de teus dissabores e infortúnios.
Dá- me a responsabilidade pelos erros de teu passado.

Afastar-me-ei delicadamente dos teus golpes,
Voltarei minha face e sentimentos para longe de tuas penúrias.
Abre as cortinas do teu coração para outra direção.

Vou arrastar a minha idiotia, minha apatia, meu ciúme, minha verborragia, meus defeitos tortos e meus sentimentos mortos ..... para outras planícies.