Total de visualizações de página

sábado, 26 de dezembro de 2015

Reflexo

                                        Fonte: http://www.kalapanaculturaltours.com/Blog/wp-content/uploads/2013/10/IMG_2233.jpg

Os seres humanos do alto de sua medíocre complexidade querem subjugar uns aos outros aos seus anseios egoístas, às suas frustrações pueris e aos seus projetos minimalistas de infelicidade.

Sinto que com o passar dos anos me dispersei em pedaços mal divididos de relações infelizes, empregos ruins, dramas familiares e até de pequenos sonhos não realizados.

Eu, no topo da minha montanha de lodo e caos deslizo na lama de minhas lágrimas derrotistas e me uno ao manto de lava que cobre minhas antigas esperanças, levando-as pouco a pouco às cinzas que voarão junto a tudo que não foi realizado.

Depressiva, suicida, deliciosamente infeliz e cheia de narcóticos. Abro os olhos mais um dia.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Leco


Muito me dói o coração já tão sofrido,
Caminhar pela casa sem te ouvir me seguindo.

Quero ouvir seus dentes batendo,
Seu ronronar de alegria.

Olho para sua caminha durante o passar do dia,
E me pergunto: - Por que Deus foi tão cruel comigo?

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Na toca da lacraia

Vontade de me arrastar para um buraco escuro,
Feito Animal peçonhento,
Encralacada feito lacraia,
Sentindo somente ódio por estar vivendo.

Ódio da vida
Ódio imundo.
Eu devia ter achado um buraco mais profundo.

Nojo de gente,
Nojo de tudo.
Vontade de jogar uma bomba e fuder com o mundo.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Falando sem pensar


Vontade de acabar com essa vida e partir do mundo de fininho feito assobio baixinho.
Faz tempo que deixei meu corpo aqui e deixei minha mente vagando solitária no escuro.
Coração não bate mais.
Respirar... Não sou mais capaz.
Quisera ter coragem de pular do décimo andar 
E estampar folhetim barato da banca da esquina.

Inspiração: Don't shy from the light - neulore

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Upgrade

Dái a vida te dá uma rasteira,
Te faz comer poeira,
Ficar de quatro chão.

Aí você chora e implora,
Pede para a má fase ir embora,
Grita por uma saía ou uma solução.

Daí a vida te dá outra rasteira,
Acaba-se o sonho de uma vida inteira,

Te larga nu caído em um valão.

domingo, 19 de julho de 2015

I'm telling darkness from lines on you ( Bon yver)


Fonte: http://www.luzdegaia.net/sabedoria/anjos/prece_atendida.html

Disse-lhe que não retornaria mais, meu senhor.
Acho que menti.

Sabe, não posso mais suportar as injúrias que se acumulam como pedras em uma muralha por mim intransponível.
Já não tenho mais a vontade que caminhar nesse vale de dor e sombras.

Disse-lhe que não retornaria chorando para os seus braços, meu senhor.
Acho que menti.

Veja, tantas vezes lhe pedi que tirasse a minha vida.
Mas dissestes que cuidaria de mim.

Acho que você mentiu.

Não vejo mais as luzes que outrora guiavam meus passos.
Não sinto mais teu amor a envolver meus braços.

Não quero que minha alma vague para longe de ti.
Quero voltar para os teus braços, me perdoa se parti.



sábado, 18 de julho de 2015

Desesperança


     Fonte: http://25.media.tumblr.com/tumblr_lv555z4upk1r4nrt4o1_500.jpg




Lambo lentamente minhas feridas,
Enquanto repouso minhas latas cansadas no solo árido dessa planície onde vivo.

Fito o céu e me pergunto quando virá a chuva,
Quando virão as nuvens para aplacar o sol que castiga meus olhos fatigados?

Já vi dias melhores,
Já lambi feridas menores.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Desencontro



Se tua vontade fosse como a minha,
De verdade meu mundo seria,
Um lugar onde não quero caminhar sozinha.


quinta-feira, 28 de maio de 2015

O buraco negro


Acho que esqueci o caminho de casa,
Não me lembro mais como ascender ao céu e brilhar novamente.

Fui sugada por um buraco negro, amargo e infeliz.
Ele roubou a minha luz.
Ele roubou meu brilho, minha centelha reluzente e atrevida.

Eu outrora estrela,
Sou agora matéria sem vida.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Dividendos


Fez de mim credor cruel de tua infelicidade,
Fala de mim como a razão de teus dissabores e infortúnios.
Dá- me a responsabilidade pelos erros de teu passado.

Afastar-me-ei delicadamente dos teus golpes,
Voltarei minha face e sentimentos para longe de tuas penúrias.
Abre as cortinas do teu coração para outra direção.

Vou arrastar a minha idiotia, minha apatia, meu ciúme, minha verborragia, meus defeitos tortos e meus sentimentos mortos ..... para outras planícies.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Ultimo gole


Tuas mentiras pobres matam pouco a pouco o que existia de melhor enfim.
Caminhamos trôpegos e perdendo o fôlego para o derradeiro fim.

Acabou-se o riso, foi-se o pranto e morreu o encanto.
Temos o luto, o esquecimento, as mágoas azedas enfim.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Obituário II

  
Meu corpo dói,
Já cansei dessa caminhada estúpida.

Não há sentido para tanto sofrimento,
Não há sentido para tanta dor.

Sinto o pesar das horas,
Sinto a morte desse amor.


sexta-feira, 24 de abril de 2015

Partícula solitária



Sinto-me apequenar-me mais e mais.
Ontem fui um grão de arroz.
Hoje infimo grão de areia,
cuja insignificância não afeta a imensidão do universo.

Como as estrelas que brilham alto no céu;
Queria virar pequeníssima partícula de luz a vagar pelo espaço;
Fazendo parte da composição de algo belo, grandioso e maior;
Algo com significado, algo que me trouxesse pertencimento e paz.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Cicuta


   Fonte: https://www.flickr.com/photos/breki74/2804123968/



A voz é embargada;
A respiração é vacilante.

Acho que se esgotaram todas as minhas palavras;
Acabaram-se os suspiros.

Sorrisos. O que são?
Alegria. Desconheço-te.

Padeço da morte enquanto viva.
Desejo veneno a substitui-me a saliva.



quarta-feira, 15 de abril de 2015

Estrelinhas de sal

     Fonte:http://t.space.com/



Pequeninas estrelas de sal descem dos meus olhos todos os dias.
Delicadas e apressadas não esperam sequer anoitecer...

Fecho meus olhos e tento impedir sua cadência,
Mas como eu poderia lutar contra a natureza?
Amarga ilusão!

Lágrimas tem vontade própria e...
Obedecem apenas o coração.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Obituário



Essa sua incoerência,
Beira a delinquência.

Inconsequente, impotente, prepotente... 

Luxúria?! 
Incite a minha fúria!

Desafio-te a dançar nu no fio da minha navalha.
Mas você falha, a gente sabe que falha.

Estou gostando dessa rima.
Dane-se o que escrevi lá em cima.

Vou lamber seus ossos podres,
E mastigá-los como se fossem doces.






terça-feira, 24 de março de 2015

50 tons de nada

Sua rejeição me faz tremer junto aos lábios de outro;
Desejos vorazes por lábios perspicazes a percorrer meu corpo.

domingo, 8 de março de 2015

Partidas

Que tudo o que foi cultivado pereça.
Que tudo que foi dito se apague.
Que o amor que eu te dei desapareça.
Deixai que esse dedilhar de sonhos se acabe.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Walking dead



Sim, eu poderia fumar um cigarro, 
Inalar suas toxinas e deixar que ele acalmasse meus nervos.

Eu também poderia beber até cair,
Inebriar meus sentidos.

Mas não sou fraca, não vou usar de escapismo ou fugas.
Enfrento esta desgraça de vida de frente.

Mas eu te confesso: - Eu preferia estar morta.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Na UTI



Partido em mil,
Coração caiu em desgraca profunda.

Não minta.
Não minta para mim, coração.

Você pode se regenerar uma vez mais?

Respira, coração!
Erga-se, coração.

Longe deste mundo,
Onde tudo é lindo e belo,
Encontrarás amor eterno.

Eu juro...eu prometo.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Derradeiro golpe

I



Essa minha desimportância é um reflexo da sua arrogância,
Mania de se achar sempre demais.
Como se fosse capaz....
Como se fosse capaz....

Mal sabes que cambaleia diante da minha espada embainhada,
Pronta para ter dar o golpe,
De Início da sua derrocada.

Estupido coração leviano.
Devias refletir sobre essa lascívia de ser achar bonito demais.
Como se fosse capaz...
Como se fosse capaz....