Total de visualizações de página

sábado, 2 de novembro de 2013

Mentiras





E ele olhou no fundo dos meus olhos e mentiu...
Mentiu como se não fosse nada....
Mentiu como sé não fosse mentira
Mentiu como se o amor fosse uma xícara de café amargo
E amargo ficou o meu amor,
Ficou pequeno,
Ficou doido,
Ficou menos....
Ficou nada, assim como a mentira dele.


Sobre demônios e anjos




Cala- te, boca maldita!
Quero ouvir o canto dos anjos,
e não o sussurro dos demônios que me rodeiam.



sábado, 5 de outubro de 2013

Decepções



    Foto: Nathan Wirth



E o coração?

Não sei. Por que?

Ainda está batendo? Não o escuto mais.

Acho que deve ter parado.

O coração sempre para quando as lágrimas começam a cair.





quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Espinhos





Somos todos animais nessa jaula reencarnatoria.
Mas, enquanto os meus espinhos estão na superfície da minha pele,
Você incrustou os seus no seu coração vadio.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Bem-te- vi sorrindo

      Fonte: osmais.com


E as palavras saíram do lugar novamente.

Sentenças, frases inteiras deixaram de existir.

Pisquei duas vezes, mas não eram meus olhos.

As ideias se perderam quando eu te vi sorrir.

Esse por-do- sol é só nosso.... Meu bem- te-vi.




sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Tese



Eu teseio,
Tu teseias,
Ela teseia.

Nós teseamos de forma alucinada.

Eu e minha tese formalizamos que estamos apaixonadas e fadadas à loucura e danação eterna.



domingo, 21 de abril de 2013

Abismo


Fonte: eusublinho.blogspot.com


Padeço.
Desfaço-me em pedaços,
que caem feito gotas em dor,
no abismo de tua ausência.



terça-feira, 16 de abril de 2013

Melhor amiga

Fonte: Getty images  

Me diz amiga, por que choras?
Não vê que a ilusão foi a única verdadeira e fiel na tua história?

É hora de se erguer e caminhar com os próprios pés.
Caminhar para longe daquele que sempre foi menos do que ti...
Menos na capacidade de te fazer sofrer.

 

domingo, 7 de abril de 2013

Cale-se



                                                Foto: As Pedras entrelaçadas/ Branco 

Resolveu, por fim, seguir só novamente;
O sombrio caminho de pedras entrelaçadas,
Poder, é poder! E somente...
Querer, é querer só,  e mais nada.

Volta a doer o silêncio!