Total de visualizações de página

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Bom presságio



Doce esperança repetia mil vezes para si mesma:

- Sou apenas um inseto, associado ao bom presságio. Mas, o que é um bom presságio?

Esperança aprendeu desde cedo a dar longos saltos e esticar suas asas buscando correntes de ar gentis que a carregassem para outros lugares.

Esperança acreditava em coisas sem sentido: amor, felicidade, paz e alegrias.  Gostava de planícies sem vegetação, desertos sem nenhuma vida e pântanos caudalosos. Deixava-se enamorar por flores sem perfume, plantas carnívoras e predadores venenosos.

Um dia esperança foi tomada por um súbito lampejo, e se atirou de um alto morro direto em um penhasco.

Pobre esperança, não morreu! Machucou uma pata, as antenas e uma de suas asas. Reergue-se com dificuldade, arriscou alguns saltos, mas estava muito ferida.

Deitou-se perto de um cacto e esperou o por- do –sol. Aos poucos adormeceu e sonhou.... sonhou com ventos doces e flores com perfume e mel.

Despertou em meio a muitas dores.... Doce esperança se indagava por que diabos não morreu na queda.  E continuava a se perguntar, mas agora aos berros: -O que diabos é um bom presságio????




terça-feira, 26 de julho de 2011

The road ahead



Como é triste e doce a melodia,
de um novo raiar do dia dentro de um pobre coração.

Suave estalar do sol,
Secando a úmida relva
de dores adormecidas.

O coração solitário,
tenta esconder o calvário
de sua amarga desilusão.

Clamo pelo cair da noite,
Para livrar- me do acoite das dores que luz me traz.

Na escuridão é que escondo,
as cicatrizes latentes
que roubam a minha paz.

Mas o algoz mais uma vez se levanta...
trazendo em sua mão mais uma chance de dor
Pois todo raiar do dia com sua triste melodia... no fundo se chama: amor


(Inspiração : Flumbing Towards ecstasy- Sarah McLachlan  ..... Sarah canta dores de amores com tamanha tristeza, que me alimento de suas lágrimas para escrever. Quem puder escutar a música, garanto que o poema fica ainda mais bonito: http://www.youtube.com/watch?v=rxguTqA32yk)

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Ponto






Ando circulando pontos em minha mente.

Ponto, ponto sim.

Mas, não se trata de uma interrogação.
Não quero fazer nenhuma pergunta,
Nem tava pensando em exclamação.

Ponto.

Ponto, ponto sim, mas final e não de interrogação.
Não me enrole em reticências.
Não somos adeptos a digressão.

Ponto. Ponto sim!
Se quiser pode ir embora.
Este ponto é para agora.
Ponto final? Ponto?!

Nos ditos de outrora,
Na distância da espera,
Ou nas palavras esquecidas, 
Aquecidas em pontos febris de ônibus,
Há, ainda que curta, 
a pausa de um quase pronto!

É vírgula, ainda é uma vírgula!
bato meu ponto em quase tudo
Mas é a vírgula, esse mar finito
Nesse céu de pequenas embarcações
Que faz de tudo um quase ponto,
Um quase nada, insiste em continuar.


Está claro. 
Nesse canto,
o pronto do ponto, 
não deixarei  pelos cantos.

Ponto.

Produção coletiva:
Eu e Marcos Alves Lopes

terça-feira, 12 de julho de 2011

O casulo e a Borboleta



Como é cansativo este constante esforço de tentar escapar de mim mesma!
O dispêndio de energia para romper com as limitações do mundo, as limitações da corpo e as limitações da mente são extremamente extenuantes.
Não posso aceitar a condição que tenho que olhar pra dentro antes de abrir as asas para o mundo... o mundo está lá fora, aqui dentro, ainda é a prisão.
Não vejo a hora de irromper os liames que me prendem neste espaço onde tudo o que vejo, toco e sinto emana somente de mim.
Não nasci para viver no casulo, a natureza me chame e demanda mais... sempre mais.

Quero mais......quero sonhar mais... viver mais... e alçar altos vôos.
Quero respirar em longos haustos e dar um mergulho profundo.

Vem comigo?

domingo, 10 de julho de 2011

Imagem e semelhança ( Poema que eu ganhei do Marcos Alves Lopes)

Desse choro,
a triste partida
de Diadorim
a morte, suicídio de mim


Esse grito ferino
que rompe couraças
para fazer avalanches
esse meu ser chinfrim

(À Cacau Cruz e suas histórias de amor!)

Marcos Alves Lopes

Pulo ou não, merda!

Acordei num bilhete vencedor de milhões
(ganhei na mega sena!)
saí pelos corredores do albergue gritando:

-Ganhei, porra!

Depois de toda a burro-cracia da Caixa-Nada-Econômica
dinheiro na conta
não pude economizar tempo - fui ao shopping

O taxi parou do lado oposto à entrada principal
fui ganhando rua,
mas durante a travessia...
percebi que não tinha ninguém com quem comemorar
Era só! em minha própria alegria
(nenhum carro para me atropelar!)

Em bebidas e torresmos - torrava minha grana
minha gana estava somente nas putas que ainda não tinha comido
no vinho que não bebera
no absinto:


- só! não sinto minhas pernas...


Quando o dinheiro acabou voltei à vidinha-de-merda-de-sempre
Sozinho, sem grana e ainda sem ninguém para dividir absolutamente nada

...

Lá embaixo tudo permanece transparente
aqui, só! a dúvida:

Pulo ou não, merda!

Produção coletiva de uma madrugada:

Marcos Alves Lopes e eu

Queda Livre




Cansei do frio da cidade,
das doces inverdades,

e dos beijos sem paixão.

Cansei de brincar de me esconder,
de fingir não te querer,
de não sentir bater meu coração.
Sou como flor que brota,
A demandar-te afeto,

e o brilho do sol a surgir....

É nesse canto de grito,
de berro, de choro, que seja! que vou

vôo mesmo sem pestanejar
...
Não preciso de pernas para sair do lugar!

(Produção coletiva com o Marcos Alves Lopes)

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Grão de areia




Como todo esse frio e a violência das ondas do mar,

sinto-me deslizar pelos rochedos enquanto me encanto pelo brilho da lua.

Estou cansada de ser levada de um lado para o outro à mercê das marés,

é chegado o momento de descansar e receber o afago sereno do abrigo amoroso.

Vou me alojar tranquila no lábios doces de uma ostra,

e esperar que ela gentilmente me enrole em seu calor...... e me transforme numa pérola.
 

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Opertum corpus



Não quero mais ser a flor que encanta a paisagem....

Vou esconder minhas pétalas e retroagir o ciclo da natureza.

Hoje eu quero ser novamente um botão!

Um botão que instiga os teus pensamentos......

e floresce somente para os teus olhos.  

terça-feira, 5 de julho de 2011

Me dá um suspiro?




Deixei passar um suspiro....
Não esperava por aquele olhar que me despia lentamente....

Deixei passar um suspiro....
Não esperava por aquela boca que me cobria de elogios....

Após uma longa estação de entreolhares.....
Ele, novamente ele .... mexeu a primeira peça no tabuleiro.

Deixei passar mais de um suspiro.... ..

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Petit gateau


 

Vou lamber toda a minha vergonha;
Cair em cima das  minhas 4 patas,
e esfregar as minhas 7 vidas na cara de todo mundo. 
Miau!