Total de visualizações de página

sábado, 22 de novembro de 2008

Dedicatória

Quero sorver de teus lábios a energia para erguer meu corpo do chão,
Enebriar-me-ei no teu olhar misterioso e plácido,
Indefesa tremo ao primeiro toque de tuas mãos,
Mas não tenho medo, confio em tua voz grave porém gentil aos meus ouvidos.
Meu coração tem uma batida cadente quando estou nos teus braços,
Assemelha-se à uma música doce cujos acordes fazem rejubilar minha alma.
Eis me aqui, de pé agora, erguida diante de ti para mais uma vez te dizer que sim.
Sim, hoje e para toda a eternidade.

sábado, 25 de outubro de 2008

Onde estará a Paz?


(...) "Se a luz não serve para expulsar as trevas, se o pão deve fugir ao faminto e se o remédio precisa distanciar-se do enfermo, onde encontraremos proveito no trabalho a que nos propomos? O Reino Divino guarda o imperativo da ação por ordem fundamental. Sigamos para diante e propaguemos a verdade salvadora, através dos pensamentos, das palavras, das obras e de nossas próprias vidas. O Todo-Sábio criou a semente para produzir com o infinito. Desce do alto a claridade do sol cada dia para extinguir as sombras da Terra. Não é outro o ministério da Boa Nova. Amar, servindo é venerar o Pai acima de todas as coisas; e servir amando é amparar o próximo como a nós mesmos. Pautar-se por estas normas, em nosso movimento de redenção, é praticar toda a Lei."


(Psicografia de Francisco Cândido Xavier ditada pelo Espírito Néio Lúcio do livro Jesus no Lar)

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Expansão e Colisão



Weber dizia que nenhuma mente é refratária ao ponto de não absorver nenhum conhecimento,

Eu discordo!

Algumas vezes triângulos não aceitam círculos e vice-versa.

Todavia, se há diálogo, muito pode ser feito em ambientes hermeticamente fechados, e o conhecimento, assim como o ar deverá fluir,

Como não sou círculo ou quadrado, prefiro ser um pentagrama, ou até mesmo um selo de salomão, nestes símbolos podemos ver mais de uma figura.

Tendo em vista que neste post uma figura é uma metáfora, quero ser uma selo de salomão pois nela há espaço para algo mais, além de mim, sendo círculo ou triângulo.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Feche a porta ao sair




Feche a porta ao sair,

Do lado de fora desse espaço que dividimos há muito além do que possamos imaginar.
O vento não é gentil para os que estão na chuva,
e a estranha imensidão guarda segredos que o coração solitário não tarda por desvendar.
Vou deixar as janelas abertas,

Quero ver o primeiro rair do sol esta manhã,
Mas não vou esperar até você voltar.
Feche a porta ao sair.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

A Caminhada


Posso segurar a sua mão?
Não, não é que eu tenha medo.
Não, isso não me assusta mais.
Gosto de ver a Estrada e pensar onde ela vai dar.
Não quero segurar a sua mão por ter medo,
Quero a sua companhia para dividir as esperanças,
Quero te mostrar para onde eu estou indo.
Então. Posso segurar a sua mão?

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

In Memoriam




Abriu os braços e partiu para dentro da imensidão,


Despiu-se de toda a dor, de toda angústia e da tristeza.


Sentiu o beijo cálido da brisa em seu espírito,


E seguiu....


Seguiu para dentro do horizonte,


Para perto do criador.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Olhe para céu


Algumas tempestades demoram mais tempo do que esperamos,
Eis porque aos primeiros raios de sol no horizonte sentimos novamente aquela pontinha de esperança surgir no fundo do coração.
A calmaria se aproxima através dos ventos,
do cheiro de terra molhada que aos pouco se dissipa com o afastar das nuvens no céu.
O presságio de melhores dias traz paz e serenidade,
Como um arco-íris no céu, brilhante e colorido, que nos traz as mais doces memórias da infância, onde tudo parecia sempre perfeito.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Ode ao tempo


Não preciso mais das palavras ordinárias,
banalizadas e imortais, proferidas incontáveis vezes por línguas prolixas.
O que levo no que peito é um sentimento conciso
factual, por vezes até místico
Tem uma aura de mistério, o que não lhe permite ser descrito, ou sequer estimado por um indivíduo qualquer.
Há um quê de superioriade, algo que lhe envolve com notoriedade, e lhe faz sobejar a certeza e não mais as dúvidas.
Contém também humildade, mas nada que lhe faça eclipsar o seu verdadeiro brilho.
Não quero mais as afirmações subreptícias, o tempo tem me ensinado que a verdadeira sabedoria não é bradada aos 4 ventos.
Respiro a longos haustos e tento recuperar meu fôlego.
O tempo urge e a ampulheta não pára jamais. Mesmo assim não tenho mais pressa.
Meu coração está envolto numa sublime sensação, meus olhos não vagueiam predidos em um horizonte infinito.
Mãos que seguram as minhas me norteiam, me protegem.
Basta olhar para o lado,
Vejo- me refletida em seus olhos,
Ontem, hoje e sempre.
Te amo

sábado, 17 de maio de 2008

Aguardando a Primavera


Alojou-se entre as pedras para escapar dos predatores,
O vento frio da noite trazia a angústia pelo amanhecer,
Esticava lentamente as folhas aguardando a luz do sol,
Nos dias de chuva a água era abundante e refrescava-lhe os anseios.
Aspirava pela nova estação,
Pelo canto dos pássaros,
Pelo sopro de vida,
Por um lampejo de amor
Estava as poucos crescendo,
Era apenas um botão.
Aguardava a primavera para desabrochar em flor.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

A Balsa


Fechou os olhos,

Tentava divisar novos horizontes.

Esticou os braços e abriu as mãos,

Buscava algo além.

Talvez outras mãos,

mãos solidárias, um toque,

um sentimento.

Parou de falar e aos poucos até de comer.

Abriu mão dos sonhos,

Não havia mais motivos para sonhar.

Queria parar de respirar,

Mas por mais que tentasse,

Respirar ainda era um ato involuntário.

terça-feira, 29 de abril de 2008

Troncos Retorcidos


Os troncos retorcidos de uma árvore guardam memórias de anos, gerações,
Cada folha que cai e toca o solo contém em si uma fração da história,
Ventos, pedras e gostas de chuva marcam o desenho de cada estação,
O sol que ilumina hoje seca os frutos num novo entardecer
As flores perdem o perfume e os galhos voltam a se retorcer.
Se no tronco sobeja vida, a árvore se retorce por quê?
Dores que não são ditas, também podem retorcer você.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Tornados


O frio que se sente, não é da mudança do clima.
Não vem da chuva constante que cai lá fora.
Não vem da ventania que quebra o galho das árvores.
Eu sabia que o tornado estava vindo.
Só não esperava que os ventos fortes levassem o melhor de mim.
O frio que congela o mais nobre dos mortais vem de dentro para fora.
Um coração triste é capaz de congelar o brilho de uma alma imortal.